« Início

Mundo Automotivo

Notícias e novidades sobre a indústria automobilística no Brasil e no mundo.

12.11.11 Nissan apresenta o elétrico Pivo 3 no Japão

É a primeira vez que o carro é mostrado; evento aconteceu em Yokohama

A japonesa Nissan apresentou pela primeira vez ao público, neste sábado (12), o protótipo elétrico Pivo 3, que estará no Salão de Tóquio no fim deste mês. O evento aconteceu em Yokohama. O Pivo 3 é um supercompacto de 3 lugares e menos de 3 metros de comprimento, equipado com 3 pneus traseiros estreitos e motores integrados às rodas. A posição de dirigir é central, assim o motorista fica ligeiramente à frente dos passageiros.

O raio de giro do pequeno carro permite, segundo a Nissan, uma manobra em “U” em uma via de 4 metros de largura. Ele possui ainda um sistema de estacionamento automatizado, que localiza a vaga e realiza as manobras sem interferência do motorista. De acordo com a fabricante, por meio de conexão com smartphone, o carro será capaz de ir ao encontro do condutor.

Confira o vídeo de apresentação:

19.10.11 Película de proteção para vidros de automóveis é realmente permitida?

Maior privacidade para o interior e falta de visualização externa em caso de problemas

A maioria das pessoas que instala uma película em seu automóvel usa como argumento a segurança e a preservação da sua privacidade, porém, por outro lado os órgãos de segurança dizem que esta “proteção” prejudica a visualização externa em casos de sequestro ou qualquer outro problema. Ambos têm razão no que falam.

Fato é que há o comprometimento parcial da visualização externa e, por conseqüência, influência direta na condução do veículo e no aumento dos riscos de acidentes.

A legislação brasileira, que trata sobre a “permissão” para utilização de películas para os vidros de automóveis, parece-me, na realidade, uma proibição disfarçada. As regras foram ajustadas recentemente e ainda não foram muito divulgadas como forma de informar quem se utiliza da película em seu veículo.

Vejamos o que ela informa: A utilização de películas nos pára-brisas é proibida, ou seja, a transparência mínima é de 75%, nos vidros dianteiros, referentes às portas dianteiras ou únicas no caso de veículos com duas portas, devem ser de no mínimo 70% e nos vidros traseiros 28%.

Analisando, os vidros dianteiros normalmente saem de fábrica com transparência mínima de 70%, portanto, mesmo um filme totalmente transparente e incolor diminuirá a transparência para um valor menor que 70%, o que traduzindo para termos mais comuns torna a película nos vidros dianteiros proibida, ou não.

Nos vidros traseiros a tolerância é grande, ou seja, transparência mínima de 28%. Considerando que a maioria dos vidros sai de fábrica com transparência mínima de 70%, temos aí uma grande possibilidade de utilizar a película sem qualquer tipo de problema.

Mas, e as ditas chancelas que estão inseridas nas películas e que estamos acostumados a ver todos os dias, quem é responsável por elas e que tipo de testes são realizados para sua utilização?

É possível inferir que pelo menos para os vidros dianteiros nenhuma película atende a legislação mesmo que contenha a dita chancela, quanto a quem é o responsável por ela, não havendo assim clareza de responsabilidades.

Qual instrumento de medição deve ser utilizado para verificar sua aprovação? A legislação diz que deve ser um instrumento de medição aprovado pelo Inmetro e homologado pelo Denatran, cujo nome técnico é medidor de transmitância luminosa.

Trata-se de um dispositivo que de um lado vidro emite uma luz que será recebida por um receptor instalado no outro lado, verificando assim, qual percentual dessa luminosidade foi transmitida do emissor chegando ao receptor através do vidro, cuja película está instalada.

Vale lembrar que a grande maioria dos aplicadores de películas ainda não tem o equipamento para medição e desta forma não conseguem demonstrar ao cliente que o produto aplicado atende à legislação vigente.

E sob a ótica do proprietário do veículo, como saber se a película atende a legislação?

O mais certo é esperar que uma fiscalização que demonstre a legitimidade ou não da chancela ou procurar um organismo de inspeção credenciado pelo INMETRO para efetuar tal verificação.

O uso de películas que não atendam a legislação é considerado infração grave com perda de 5 pontos na CNH e apreensão do veículo até sua regularização.

Desta forma, antes de incluir qualquer película no seu veículo pense bem e certifique-se de que ela atende aos padrões exigidos para evitar acidentes, multas ou incomodo durante uma viagem ou passeio.

Fonte: Mecânica Online

11.10.11 Carro mais antigo do mundo é leiloado por U$ 4,62 milhões

De Dion Runabout fabricado em 1884 participou da primeira corrida de automóveis do mundo

Foi leiloado neste final de semana, nos EUA, o carro mais antigo do mundo. Restam apenas seis unidades do De Dion-Bouton Et Trepardoux Dos-A-Dos Steam Runabout no mundo, e uma delas, fabricada em 1884, foi vendida por US$ 4,62 milhões (cerca de R$ 8 milhões).

Com o crédito de ter participado da primeira corrida de automóveis da história, nas ruas da França em 1887, o triciclo motorizado a vapor fabricado pela De Dion-Bouton ainda está em perfeito funcionamento.

O leilão, realizado na respeitada casa RM Auctions, ocorreu sob muitos aplausos e iniciou com o “modesto” lance de US$ 500 mil. O veículo foi colocado à venda pelo espólio de John O’Quinn, colecionador renomado que faleceu em 2009. Anteriormente, o carro pertenceu a apenas três donos, sendo um deles Tim Moore, membro do British Veteran Car Club que adquiriu o carro em 1990 e restaurou-o completamente para sua vitória no Pebble Beach Concours d’Elegance em 1997.

carro antigo

De Dion Rounabout tem motor a vapor e foi restaurado nos anos 90

28.09.11 Campeão de salto a distância pula três modelos Mini na Inglaterra

Evento em Londres lança a linha 2012 dos carros britânicos

O campeão inglês de salto a distância JJ Jegede saltou sobre três modelos da marca Mini nesta quarta-feira (28), perto da Tower Bridge, em Londres (Inglaterra). O atleta saltou seis metros para o lançamento da linha 2012 dos modelos Mini.

O campeão competirá nos Jogos Olímpico de Londres 2012, que são patrocinados pela marca britânica de carros estilosos pertencente ao grupo alemão BMW. No ano que vem, a Mini vai lançar um modelo comemorativo do evento esportivo, que levará as cores vermelho, branco e azul e o símbolo olímpico.

23.09.11 Toyota tenta recorde com veículo movido a ar comprimido

Modelo utiliza tecnologia de ar-condicionado e chega a 129,2 km/h

A Toyota Industries Corporation apresentou em sua fábrica de Obu, no Japão, o triciclo que não precisa de gasolina, hidrogênio ou eletricidade para andar. O triciclo Ku:Rin utiliza somente ar comprimido. Com essa tecnologia, a montadora japonesa quer chegar ao Guinness World Records, o livro dos recordes, já que o carro atingiu 129,2 km/h em um teste realizado no dia 9 de setembro.

O carro é chamado de Ku:Rin, por ser uma palavra derivada do japonês kanji para “ar” (ku) e roda (rin). O modelo mede 3,5 m de comprimento e 0,8 m de largura.

O “foguete” foi desenvolvido por cerca de 40 jovens técnicos no centro de pesquisa da companhia, aplicando a tecnologia de um compressor para ar-condicionados de carro. Ao invés de usar a energia mecânica para comprimir o ar, o compressor gera energia mecânica para roda o carro pela expansão do ar comprimido. Assim, o ar comprimido atua como um meio de armazenamento de energia assim como uma bateria em um carro elétrico.

Além de fabricar automóveis, motores e componentes eletrônicos, o grupo Toyota é o maior fornecedor de compressores de ar condicionado de automóveis do mundo, com produção anual de 20 milhões de unidades.

O Ku:Rin não será produzido, mas serve como laboratório para o aprimoramento da tecnologa.

9.09.11 Segurar o carro em rampas usando a embreagem é prejudicial?

A função de “segurar” o veículo em subidas controlando a embreagem é muito prejudicial ao sistema

De acordo com Nilton Monteiro, diretor executivo da Associação Brasileira de Engenharia Automotiva (AEA), essa prática é condenável porque acelera demasiadamente o desgaste do sistema de embreagem, causando redução de sua durabilidade e consequente manutenção prematura. “O dono do carro acaba sendo obrigado a trocar a embreagem com muita antecedência, o que representa um custo adicional na manutenção. Além disso, práticas desse tipo também promovem maior gasto de combustível.”

Esse tipo de manobra também representa um perigo para quem está por perto, isso porque existe o risco de um dos pedais escapar dos pés, o que poderia causar a perda de controle sobre o carro e, pior, colisões ou atropelamentos. Sem falar que esse vício ao volante não costuma ser ensinado por instrutores de centros de formação de condutores. Se o trânsito parar em uma subida, o correto é utilizar o sistema de freios do veículo.

30.08.11 Volkswagen Space Cross chega por R$ 57.990

Modelo ganhou apliques plásticos e teve a suspensão elevada

Aproximadamente dois meses após apresentá-la no Salão do Automóvel de Buenos Aires (Argentina), a Volkswagen traz para o Brasil a Space Cross, versão ‘aventureira’ da perua Space Fox. O modelo chega com o já conhecido motor 1.6 8V Total Flex de até 104 cavalos de potência e 15,6 mkgf de torque, quando abastecido com álcool, e com duas opções de câmbio: manual ou automatizado (I-Motion), ambos de cinco marchas. O preço inicial é de R$ 57.990.

Esteticamente, a Space Cross passou pelo mesmo ‘banho de loja’ que todo carro que se ‘veste para a lama’ passa. Ganhou novos apliques plásticos, teve a suspensão ligeiramente elevada, ‘calça’ agora novos pneus (maiores e mais largos) e o acabamento interno agrega detalhes exclusivos.

Por fora, a dianteira é igual à do CrossFox, com destaque para a ampla grade frontal inferior estilo ‘colmeia’ e os grandes faróis de neblina. Na lateral, além dos plásticos que contornam as caixas de rodas, e o estribo, o pessoal da Volks optou por adotar um friso preto no rodapé das portas ao invés de um adesivo, como no CrossFox. A traseira tem novo para-choque e a tampa do porta-malas não traz o estepe, que continua dentro do compartimento de bagagem de 430 litros. As lanternas são escurecidas.

Em comparação à opção urbana da perua, a Cross está mais alta. Segundo a equipe de engenharia da marca, a suspensão dianteira foi elevada em 33 milímetros e a traseira em 35 milímetros. Os pneus 205/55 que ‘calçam’ as rodas de liga leve de 15 polegadas (série em todas as configurações e na cor grafite) são mais largos e maiores, e contribuem com 5 milímetros na altura veículo.

Desempenho

De acordo com a montadora, o Space Cross manual, quando abastecido com etanol, acelera de 0 a 100 km/h em 11,5 segundos e atinge a velocidade máxima de 177 km/h. O consumo em circuito misto (urbano e rodoviário), ainda segundo a Volkswagen, é de 13,8 km/l gasolina e 9,3 km/l com etanol.

 

Equipamentos

Apesar do preço ‘salgado’ – tem o valor de entrada mais elevado em comparação aos seus principais concorrentes Fiat Palio Adventure (R$ 54.850), Peugeot 207 Escapade (R$ 48,4 mil) e Nissan Livina X-Gear (R$ 53.290) -, a Space Cross oferece de série direção hidráulica, travas e vidros elétricos, ar-condicionado, sensor crepuscular, sensores de chuva e crepuscular, faróis de neblina, computador de bordo, airbag duplo e freios com ABS (antitravamento).

Como opcionais, a marca disponibiliza dois tipos de sistemas de som, ajustes de altura e profundidade da coluna de direção e volante multifuncional revestido em couro – no caso da versão com transmissão automatizada, ele também pode vir com as aletas atrás do volante (borboletas). Os bancos também podem ser revestidos em couro.

15.08.11 Nova Kombi deve chegar em 2014

Volkswagen Bulli chegará ao mercado em 2014 com a mesma plataforma do Beetle

Ao que tudo indica, teremos mais um Volkswagen nostálgico no mercado em breve. A Volkswagen Bulli deve ser fabricada a partir de 2014, de acordo com a revista britânica AutoCar. Segundo a publicação, o modelo será feito em Puebla, no México, o que aumentam suas chances de vir para o Brasil.

O modelo deverá compartilhar a mesma plataforma do novo Beetle, que desembarcará no mercado brasileiro no final de 2012. Devido às formas quadradas, o carro é comparado com a boa e velha Kombi até mesmo pela própria montadora alemã. No entanto, esqueça a vocação para o trabalho com a Bulli. Ela deverá ocupar apenas cinco pessoas, como um carro de passeio convencional.

Fonte: Auto Esporte

13.07.11 Hilux 2012: Primeira Imagens

Modelo ganhou pequenas novidades estéticas e melhorias internas.

A Toyota divulgou nesta quarta-feira (13) as primeiras imagens e informações da nova Hilux 2012. A picape média, que traz pequenas alterações estéticas, melhoramentos no acabamento interno e evoluções técnicas, será comercializada em mais de 135 países. No entanto, não há informações oficiais de quando a picape chega ao Brasil.

A dianteira ganhou novo conjunto óptico e a grade do radiador (três barras cromadas) foi redesenhada, inspirada nos modelos Corolla e Camry. A lateral manteve a mesma ‘silhueta’ da versão anterior, assim como a traseira, que oferece faróis com nova configuração.

Traseira não trouxe muitas novidades, além dos faróis redesenhados (Foto: Divulgação)

Com novos revestimentos, a marca japonesa buscou um novo patamar de requinte ao modelo. Destaque para a tela colorida de 6,1 polegadas sensível ao toque do sistema multimídia.

A Hilux 2012 terá quatro versões de acabamento (DLX, DLX+, SR e SR+), três de cabine (simples, estendida e dupla) e duas de tração (2WD ou 4WD). Os motores diesel serão o 2.5 turbocharging , que ganhou 24 cavalos a mais (146 cv), e 3.0.

11.06.11 O futuro combustível dos carros elétricos

O lítio e o níquel terão que procurar outro emprego. Na bateria não!

Um grupo de estudantes do Massachusetts Institute of Technology, nos Estados Unidos, está desenvolvendo um projeto que pode ser a solução para as recargas de veículos elétricos. Elas serão mais rápidas e mais baratas.

A bateria vai se libertar do lítio e do níquel para adotar elétrons em células semi-sólidas. Com isso, as partículas carregadas ficam suspensas em uma solução de eletrólitos e são bombeadas entre os compartimentos usados para armazenar e libertar energia.

Os carros elétricos são ótimos para o meio ambiente e com a nova tecnologia devem fazer bem ao bolso. Segundo o projeto, as baterias vão ficar 10 vezes mais eficientes que as comuns, além de ter a produção mais barata. O projeto poderá reduzir também o tamanho e o custo das baterias atuais em 50%. E o melhor: a recarga deve demorar o mesmo tempo que o abastecimento com gasolina. O protótipo deve ficar pronto nos próximos 18 meses.